Publicidade Espiritual

Texto do comercial

Por quê?
Se não há medalhas, nem troféus.
Se não tem torcida, aplausos, nem hinos de vitória
Só o silêncio.

Por que, então?
Se não há dinheiro, nem contratos.
Se não tem flashs, câmeras, nem pódiuns, nem glórias.
Talvez, só uma luz.

Onde estão as pistas, os campos, as quadras, os estádios
Onde estão os adversários, os rivais
Onde está o tempo?

Inspire-se

E o limite, onde está o limite?

video


Este comercial mostra esportistas amadores e anônimos acordando cedo para praticar esportes como atletismo, musculação, vôlei, entre outros. As personagens do filme correm por ruas com paralepípedos, escadas de edifícios e praias, faça chuva ou faça sol. A propaganda registra cenários vazios de público e publicidade; ambientes despidos de aplausos, prêmios e recompensas; e lugares inadequados para a prática profissional do esporte. Enquanto a cena mostra anônimos suando, o locutor questiona: “Onde estão as medalhas, os troféus, a torcida, o dinheiro, os contratos, os aplausos, as glórias, os flashes, as câmeras e os pódios?”. Além disso, as cenas mostram que os amadores praticam seus esportes sem comparações, adversários e nem competição.

Além da publicidade do tênis, posso perceber que a propaganda mostra esportistas anônimos, comuns que amam incondicionalmente o esporte. Praticam o esporte pelo esporte. Praticam esporte para cultivar a própria saúde. Praticam esporte sem a ambição da glória das câmeras, fotos e holofotes da mídia. Praticam esporte sem comparações nem competições. Praticam esporte sem desejar chegar nos pódiuns, sem a ambição pelas glórias das medalhas das olimpíadas. Praticam o esporte por amor. Esta é a motivação da prática esportiva.

Vendo assim, essa propaganda é uma ilustração que me conduz a entender melhor a advertência de Jesus contra a publicidade espiritual. Jesus adverte: “Guardai-vos de exercer a vossa justiça diante dos homens, com o fim de serdes vistos por eles; doutra sorte, não tereis galardão junto de vosso Pai celeste”. (Mt 6:1). As obras de justiça citadas por Jesus são: esmola (Mt 6:2-4); oração (Mt 5-8) e jejum (MT 6:16-18). Ele adverte não contra essas práticas espirituais; mas sim, contra às mais íntimas motivações e intenções do coração de quem doa esmolas, ora e jejua.

Jesus expõe a motivação dos que doam esmolas quando diz que eles propagam sua caridade tocando trombeta diante de todos. Doam com o microfone na mão, gritando em alto-falante a lista de suas boas obras, divulgando em carro de som, rádio, outdorr, para serem glorificados pelos homens. Aqueles que fazem publicidade de suas orações procuram lugares de honra e destaque nas sinagogas ou em praça pública, para serem vistos dos homens apenas nos palcos da performance religiosa. E quem publica seu jejum desfigura o rosto com o fim de parecer aos homens que estão em alto nível de arrebatamento espiritual. Estes publicitários de sua justiça própria são chamados de hipócritas pois fabricam e preservam uma reputação social extremamente diferente do que há no caráter de seu coração. Na verdade, Jesus está dizendo que eles doam esmolas para serem aplaudidos e aclamados como bondosos, oram para serem glorificados pela sua egolatria, jejuam para serem mais espirituais do que os outros. Enfim: Eles praticam sua espiritualidade ego-látrica para aparecerem na mídia religiosa, receberem a fama do público e subirem no pódiun dos recordistas mais espirituais de todos.

Jesus faz outro tipo de propaganda da espiritualidade aprovada por Deus: Ele nos ensina a dar esmola em secreto, orar dentro do quarto, jejuar sem ostentar. Jesus joga fora a ambição ímpia de chamar atenção do público religioso para si mesmo a fim de dizer que o única e exclusiva platéia que vê em secreto as nossos exercícios espirituais é Deus – o público de uma só pessoa. Assim, somos ensinados que nós devemos dar esmolas, orar e jejuar por amor a Deus e por amor a nossa saúde espiritual.

Quem é você quando ninguém está olhando? Você seria capaz de dar esmola, orar e jejuar sem público ou recompensas? Você seria capaz de amar a Deus desinteressadamente? Você seria capaz de obedecer a Deus por nada, sem trocas ou barganhas?

Seja um atleta amador. Seja um discípulo amador e anônimo. Exercite-se espiritualmente por amor. Que haja sanidade e santidade na sua espiritualidade. Ajude os necessitados, ore, jejue para glorificar exclusivamente a Deus. Pois no Reino de Deus não há mídia, comparações nem pódiuns.

Inspire-se em Cristo, que é a nossa verdadeira motivação para doar esmolas, orar e jejuar sem fazer publicidade espiritual.

Jairo Filho

Nenhum comentário:

Postar um comentário